Tengo dos pueblos para amar y un mundo por el que luchar

Pakito Arriaran

Se encuentra usted aquí

EH Lagunak (pt)

Centenas exigiram em Ondarroa a libertação de Iparragirre

ASEH-Lisboa - IG, 10/22/2017 - 22:34
Reunidas sob o lema «Ibon etxea! Bixik!» [Ibon para casa! Vivo!], centenas de pessoas manifestaram-se esta tarde nas ruas de Ondarroa (Bizkaia) para exigir a libertação imediata do preso Ibon Iparragirre, doente com Sida e em «situação terminal».

Tanto a plataforma Iparra Galdu Baik, que tem divulgado o caso de Ibon, como os familiares do preso político ondarrutarra têm denunciado reiteradamente a situação de extrema fragilidade em que se encontra na cadeia de Alcalá-Meco, bem como o facto de dever estar em casa, dado o seu estado de saúde, que é «de vida ou morte».

Hoje, voltaram a exigir que Ibon esteja em casa, «antes que seja demasiado tarde. Um dos seus irmãos, Gotzon, sublinhou «a necessidade de, mais que nunca, ser firmes na luta pelo regresso a casa de Ibon e dos demais presos».

Em Barakaldo, dia 26
Pela libertação dos 22 presos políticos bascos com doenças graves que «se encontram nas cadeias dos estados ocupantes», o Movimento pró-Amnistia e contra a Repressão (MpA) agendou uma concentração em Barakaldo (Bizkaia) para dia 26, às 19h00, na Praça da igreja de San Bizente. / Mais info e fotos: Turrune!

«Para que la muerte de Santiago no quede impune»

ASEH-Lisboa - IG, 10/22/2017 - 22:33
Miles de personas se movilizaron ayer a Plaza de Mayo con el reclamo de justicia

«Muchos los siguen maltratando, así que acá estoy para darles mi apoyo y para sumarme a su pedido de Justicia porque no quiero que la muerte de Santiago quede impune.» Sofía se multiplica en decenas de miles que en la tarde de ayer, con la Pirámide de Mayo como santuario y la Casa Rosada vallada de fondo, le exigieron la renuncia a la ministra de Seguridad, Patricia Bullrich, y reclamaron «juicio y castigo» a los responsables de la desaparición y la muerte del joven tatuador.

Esa leyenda, «Juicio y castigo» es la que se lee inmensa en la bandera que las agrupaciones de derechos humanos, sociales y políticas que integran el Encuentro Memoria, Verdad y Justicia, portan en su avance sobre la Avenida de Mayo hacia la Plaza de Mayo, epicentro de la manifestación a la que convocaron el viernes tras escuchar de la boca de Sergio Maldonado que el cuerpo que medio centenar de peritos analizaba en la Morgue Judicial de esta ciudad era el de su hermano menor. (pagina12.com.ar)

«20,000 Nazis March in Kiev. The Western Media Somehow Fails to Notice»

ASEH-Lisboa - IG, 10/22/2017 - 22:32
[De Bryan MacDonald] big media corporations, with a staff and stringer presence all over the former USSR, apparently didn't feel a Nazi parade, of up to 20,000 people, with fascist symbols and Hitler salutes on view, was newsworthy. Furthermore, when statues are erected to Ukrainians who murdered Jews these outlets don’t seem to bat an eyelid.

Take the BBC, for instance. The British state broadcaster has a dedicated Ukrainian service and employs dozens of journalists in Kiev, many of whom are also active on social media in the English language. Despite this, the BBC didn’t cover the Kiev Nazi rally. And the call came on the same weekend we learned the British government has hired PR firm M&C Saatchi to run a project with the Foreign Office to «rehabilitate» Ukraine. Now if anyone thinks the two are not linked, I have a bridge to sell them.

However, if Navalny so much as breaks wind in Moscow, the BBC is there to report. (russia-insider.com)

«Verdades muito incómodas: prostituidores, coacção sexual e negação do dano na prostituição»

ASEH-Lisboa - IG, 10/22/2017 - 22:31
[De Melissa Farley / trad. de Lúcia Gomes] A globalização aumentou ainda mais o desequilíbrio de poder entre o prostituidor com a carteira e a mulher que aluga sua vagina por uma taxa. Em França, 85% das prostitutas são imigrantes, a maioria sem papéis e vulneráveis à exploração. Na Alemanha, com seus mega bordéis legais, cerca de dois terços. Se a procura não for combatida, mais virão.
[…]
Mas tolerar o abuso sexual é a descrição do trabalho da prostituição. Uma das maiores mentiras é a de que a maioria da prostituição é voluntária. Se não houver evidência de coerção, a sua experiência é descartada como «voluntária» ou «consentida». Um prostituidor disse: «Se eu não vejo uma corrente na perna, eu suponho que ela escolheu estar lá». Mas hoje a maior parte da prostituição é o que os abolicionistas alemães chamaram de prostituição da pobreza «Armutsprostitution». Isso significa que ela tem fome, ela não consegue encontrar emprego, ela não tem escolha. O pagamento da prostituição não elimina o que conhecemos como violência sexual, sexismo e violação. (manifesto74)

Novo processo: 600 anos de cadeia para 48 solidários com os presos

ASEH-Lisboa - L, 10/21/2017 - 22:34
A Procuradoria da Audiência Nacional espanhola pede 590 anos de prisão para 48 pessoas acusadas de participar em organizações de defesa dos direitos dos presos políticos bascos como Herrira, Etxerat ou Jaiki Hadi. Neste processo também estão incriminados advogados e interlocutores com o EPPK. O braço judicial do Regime de 78 volta a não surpreender.

Numa altura em que os representantes do Regime de 78 anunciam, a propósito da Catalunha, que Espanha é solidária e que nela todos cabem, o seu braço judicial voltou a não surpreender, solicitando elevadas penas de cadeia para 48 pessoas acusadas pelo tribunal de excepção espanhol de «integração» na ETA ou «colaboração» com ela, pelo trabalho que realizaram em defesa dos presos políticos bascos no âmbito de vários organismos, como o Herrira, a associação de familiares Etxerat e a associação de médicos e psiquiatras Jaiki Hadi.

Este sábado, alguns deles abordaram a questão numa conferência de imprensa em Donostia, acompanhados por representantes do mundo sindical, político e social basco. Esta semana já tinha vindo a público que as penas solicitadas eram altas e, hoje, os presentes na capital guipuscoana disseram que rondam os 600 anos de prisão no total, com a Procuradoria e pedir entre oito e 20 anos para cada um dos incriminados.

Recordaram que, no Outono de 2013, a Guarda Civil levou a cabo a operação contra membros do movimento solidário Herrira. Depois, foram detidos advogados que tinham a seu cargo a defesa dos presos políticos bascos, bem como os interlocutores do EPPK (colectivo de presos), membros da associação de familiares Etxerat e da associação Jaiki Hadi, que trabalha no âmbito da saúde. Foram detidas 48 pessoas, 11 das quais estiveram presas preventivamente.

Os envolvidos neste processo afirmaram estar «muito preocupados» com a situação, para cuja «gravidade» querem chamar a atenção. Reafirmaram o carácter «público e transversal» do seu trabalho «em defesa dos presos e da paz», algo que, em seu entender, «não pode ser crime».

Operação contra o Herrira e repressão policial em Hernani, 2013Ver: ahotsa.info

Os lapurtarras Aratz Gomez e Arkaitz Saez foram libertados

ASEH-Lisboa - L, 10/21/2017 - 22:33
Aratz Gomez, de Azkaine, foi libertado na quinta-feira, 19, e Arkaitz Saez saiu da cadeia hoje mesmo. Foram detidos juntos em 1998, em Irun (Gipuzkoa).

Aratz Gomez e Arkaitz Saez foram libertados esta semana, ambos com a pena cumprida na íntegra e depois de terem passado 18 anos na cadeia. Foram presos juntos, em Irun (Gipuzkoa), e condenados, depois de os terem acusado de pertencer à ETA.

Tal como outros presos bascos de territórios sob domínio francês, estavam a cumprir pena no Estado espanhol. Em 2005, vários deles solicitaram a transferência para cadeias no Estado francês. No caso de Gomez e Saez, a transferência foi conseguida 12 anos mais tarde e a pouco tempo de saírem da cadeia: foram transferidos para a prisão de Mont-de-Marsan, perto de Euskal Herria, a 29 de Junho último.

Aratz Gomez é de Azkaine (Lapurdi), onde está prevista a realização de um acto de boas-vindas no próximo dia 28. Arkaitz Saez, libertado hoje, é de Hiriburu (também no território de Lapurdi). / Mais info: kazeta.eus

«Rajoy anuncia un golpe de estado contra las instituciones catalanas con el 155»

ASEH-Lisboa - L, 10/21/2017 - 22:32
El gobierno central aumenta su escalada autoritaria y represiva contra los anhelos de libertad del pueblo catalán con un verdadero golpe de estado contra las instituciones de la Generalitat pactado con el PSOE y CS a través del artículo 155 de la Constitución.

El presidente del gobierno español, Mariano Rajoy, ha anunciado, en una comparecencia después del consejo de ministros extraordinario de esta mañana, que le quitará al President de la Generalitat y al Parlament de Catalunya la potestad de convocar elecciones. «La facultad de disolver el parlamento pasa al presidente del gobierno español, para convocar elecciones en un plazo máximo de seis meses, pero la voluntad es hacerlo tan pronto como recuperamos la normalidad institucional», ha dicho. (lahaine.org)

Centenas de milhares pela independência e contra o golpe
Cerca de 450 mil pessoas (de acordo com a Guarda Urbana) manifestaram-se, hoje, em Barcelona a favor da independência da Catalunha, da libertação dos líderes independentistas encarcerados Jordi Sánchez e Jordi Cuixart, e contra o golpe que o governo de Rajoy quer levar a cabo contra as instituições catalãs. / Mais info: aqui / FOTOS aqui

«O império EUA, a CIA e as ONG»

ASEH-Lisboa - L, 10/21/2017 - 22:31
[Entrevista a William Engdahl, por Ludwig Watzal] Elucidativa entrevista com um estudioso das ONG norte-americanas, nomeadamente as criadas durante a década de 80: «National Endowment for Democracy», «The Freedom House» ou as de Soros, as «Open Society Foundations», «Instituto para a paz». Nas palavras de um do seus criadores, tratava-se de «fazer o que a CIA faz, mas de forma privada». Toda a conspiração imperialista desde então ilustra como têm cumprido esse papel. (odiario.info)

Domingo, manifestação em Ondarroa pela libertação de Ibon Iparragirre

ASEH-Lisboa - OT, 10/20/2017 - 22:34
O Movimento pró-Amnistia e contra a Repressão (MpA) anunciou hoje que adere à manifestação pela liberdade de Iparragirre, preso político ondarrutarra gravemente doente. A mobilização, convocada há dois dias, realiza-se este domingo, 22, partindo às 13h00 da Alameda de Ondarroa (Bizkaia).

O MpA lembra que, nos últimos dias, chegaram más notícias sobre o estado de saúde de Ibon Iparragirre. «O seu corpo não tem defesas e pode morrer a qualquer momento», lê-se numa nota. Antes e como consequência da sua doença, Ibon teve a possibilidade de cumprir a pena em casa, mas essa autorização foi anulada e Ibon voltou a ser encarcerado.

«Por detrás desta crueldade não está a simples sede de vingança, mas o desejo de atemorizar todo um povo e a tentativa de obter o arrependimento das presas e dos presos políticos», afirma-se.

«Arrepende-te ou morre», é isso que estão a pôr à frente dos presos doentes, «querendo mostrar que, com os arrependimentos, os estados são invencíveis», denuncia o MpA, que apela à participação na manifestação deste domingo em Ondarroa. / Ver: amnistiAskatasuna (euskaraz hemen)

«Líbia: a seis anos da destruição de um Estado»

ASEH-Lisboa - OT, 10/20/2017 - 22:33
[Nos seis anos do assassinato de Muammar Khadafi] Foi a 19 de Março de 2011 que forças militares francesas, britânicas e norte-americanas, à frente de uma ampla coligação internacional, iniciaram uma intervenção militar na Líbia.

Poucos dias depois, a NATO passou a assumir o comando das operações, que se prolongaram até 31 de Outubro desse ano, consumado que estava o assassinato do chefe de Estado, Muammar Khadafi. (Abril)

«La gran masacre que Estados Unidos mantuvo siempre en silencio»

ASEH-Lisboa - OT, 10/20/2017 - 22:32
El gobierno de Estados Unidos estuvo al corriente de la gran masacre del ejército indonesio en 1965 dirigida contra los comunistas y las organizaciones obreras y campesinas, según revelan los archivos de la embajada en Yakarta que se abrieron el martes.

Aproximadamente medio millón de comunistas, sindicalistas y militantes revolucionarios fueron asesinados impunemente en medio del silencio internacional de las grandes cadenas de «información». (diario-octubre.com)

EINA - «Banderes roges endolades»

ASEH-Lisboa - OT, 10/20/2017 - 22:31
Tema do álbum Bolxevic (2017). Letra (cat/cas) aqui [versos do poema «Vladimir Ilich Lénine», de Maiakóvski].

Manifestação a favor da amnistia dia 18 de Novembro em Bilbo

ASEH-Lisboa - OG, 10/19/2017 - 22:34
O Movimento pró-Amnistia e contra a Repressão (MpA) agendou uma manifestação nacional para dia 18 de Novembro, na capital biscainha. A mobilização parte às 18h00 do Sagrado Coração e visa reforçar a noção de que os presos, os refugiados e os deportados políticos bascos são uma consequência do conflito.

«Se são resultado da repressão, podemos afirmar sem qualquer dúvida que também são consequência da luta, já que a repressão dos estados é proporcional à resistência com que estes se deparam», lê-se no comunicado do MpA.

Para o MpA, é preciso continuar a lutar até que «consigamos a sua liberdade e a do nosso povo, até que alcancemos a independência, o socialismo e a amnistia. Mais ainda quando persiste a cruel tentativa de acabar com os que continuam sequestrados pelos estados». / Ler comunicado na íntegra aqui (euskaraz hemen)

«La necesaria confluencia política contra el muro del Régimen del 78»

ASEH-Lisboa - OG, 10/19/2017 - 22:33
[De Ángeles Maestro] La propuesta de Pedro Sánchez de reforma de la Constitución es a todas luces un señuelo para intentar acompañar la vuelta de Puigdemont a la «legalidad». Ni la credulidad más ingenua resiste ante los innumerables los ejemplos de cómo para el PSOE decir una cosa en la oposición para embaucar a la gente y hacer todo lo contrario en una vez en el gobierno, no es una excepción, sino la marca de la Casa.
[...]
La Ruptura que la Transición abortó sigue pendiente y su culminación es un hecho político mayor, insoslayable para las aspiraciones políticas de los pueblos del Estado español y de la clase obrera. (lahaine.org)

«Tumaco ou os "condenados da terra"»

ASEH-Lisboa - OG, 10/19/2017 - 22:32
No dia 5, a Polícia colombiana matou pelo menos nove camponeses em Tumaco, no departamento de Nariño. O massacre voltou a deixar a nu a pobreza do campesinato colombiano, as agressões a que é submetido, bem como a falta de implementação dos acordos de paz firmados em Havana.
[...]
Jesús Santrich, ex-guerrilheiro das FARC-EP e actual membro do partido Força Alternativa Revolucionária do Comum (FARC), explica que a questão dos cultivos ilícitos vem de longe, de quando «a oligarquia colombiana se apoderou dos vales» e obrigou os camponeses a irem para regiões remotas.

A persistência do cultivos de ilícitos no seio da agricultura colombiana está ligada a um contexto de marginalização, pobreza, falta de ajudas do Estado, bem como ao acosso das forças policiais e organizações paramilitares e ligadas ao narcotráfico.

Foi neste contexto que a ex-senadora Piedad Córdoba, membro da Marcha Patriótica, chamou aos camponeses assassinados em Tumaco «condenados da terra». (Abril)

«Só o fogo cheira a fogo»

ASEH-Lisboa - OG, 10/19/2017 - 22:31
[De António Santos] A resposta tem sido a substituição de bombeiros profissionais e voluntários por bombeiros penitenciários: actualmente quase 40 por cento dos 9000 bombeiros que combatem as chamas na Califórnia são presos a cumprir pena. Remunerados com 2 dólares por hora durante turnos de 24 horas, estes bombeiros condenados por delitos menos graves tornaram-se numa opção low cost de combate aos incêndios que, anualmente, permite poupar ao Estado 80 milhões de dólares. Afinal, porquê pôr os presos a limpar matas quando se pode pôr os presos a apagar as matas? (avante.pt)

«Más de 100.000 detenidos y 25.000 torturados»

ASEH-Lisboa - AZ, 10/18/2017 - 22:34
[De Borroka Garaia] Son datos que en ningún caso pretenden minimizar la represión en Catalunya que es de absoluta gravedad, sino que nos da una idea por si alguien lo ha olvidado de la brutal represión masiva, estado de excepción y persecución que se ha vivido y aún se sigue viviendo en Euskal Herria. Esta semana se cumplía un año desde que los jóvenes de Altsasu eran encarcelados y muchos siglos son lo que llevan conjuntamente cumplidos los cientos de presas y presos políticos vascos actualmente secuestrados. Algunos enfermos, a punto de morir tras estar siendo asesinados calculadamente como muchos más lo han hecho en muy diferentes circunstancias.

Imágenes de represión en las calles son el pan de cada día, sea esta semana en el desalojo de una acampada en Gasteiz o ayer mismo de un proyecto solidario en Getxo. Las multas a modo de impuesto reaccionario son incontables así como las imputaciones y juicios. Por supuesto, si vas al kiosko seguirás sin encontrar el egin o egunkaria, y en las elecciones fraude no estarán las papeletas prohibidas de lo que votabas. Es tal la brutalidad del estado español en Euskal Herria y tan extendida en el tiempo que posiblemente la mayor victoria del estado en estos momentos sería que lo olvidemos. (BorrokaGaraiaDa)

«Israelitas prenderam quase meia centena de palestinianos em 2 dias»

ASEH-Lisboa - AZ, 10/18/2017 - 22:33
De acordo com a agência «Ma'an», pelo menos 46 palestinianos foram detidos por forças israelitas em operações levadas a cabo nas últimas duas madrugadas, em vários pontos da Margem Ocidental ocupada.

De terça para quarta, as forças policiais e militares israelitas prenderam pelo menos 32 palestinianos em vários pontos da Cisjordânia e em bairros de Jerusalém Oriental. Os dados, divulgados pela agência Wafa, foram revelados pela Sociedade de Prisioneiros Palestinianos (SPP).

As incursões nocturnas das forças militares israelitas em cidades, aldeias e campos de refugiados na Margem Ocidental ocupada, incluindo Jerusalém Oriental, são uma ocorrência quase diária.

De acordo com as Nações Unidas, entre 26 de Setembro e 9 de Outubro as forças israelitas levaram a cabo 121 operações de busca e captura na Margem Ocidental, tendo detido 205 palestinianos, nove dos quais crianças. (Abril)

«Prominent Syrian general Issam Zahreddine killed in Deir ez-Zor»

ASEH-Lisboa - AZ, 10/18/2017 - 22:32
The prominent Syrian Arab Army (SAA) officer, Major General Issam Zahreddine, was killed today in Deir ez-Zor after his convoy struck a land mine planted by the Islamic State (ISIS).

According to a military source, General Zahreddine was conducting a special operation at Saqr Island in Deir ez-Zor, when his vehicle struck the land mine.

General Zahreddine was the commander of the elite 104th Airborne Brigade of the Republican Guard that heroically fought off the Islamic State (ISIS) for several years, while under siege and under supplied.

The General was born in rural Sweida village of Tarba and was 56 years old at the time of his death. (Al-Masdar News)

Glória ao herói! A luta continua!

Eina - «La revolució no es fa, s'organitza»

ASEH-Lisboa - AZ, 10/18/2017 - 22:31
Tema do novo trabalho da banda catalã - Bolxevic - que celebra os 100 anos da Revolução de Outubro.

Páginas

Suscribirse a Askapena agregador: EH Lagunak (pt)