Ez al da izango pobreak pobre direla, beren goseak geuri ematen digulako jaten eta beren biluztasunak geu jantzi?

Eduardo Galeano

Hemen zaude

EH Lagunak (pt)

Pais de Altsasu pedem libertação imediata dos jovens

ASEH-Lisboa - AZ, 03/29/2017 - 22:34
Numa conferência de imprensa que ontem deram na capital navarra, pais e mães dos jovens que foram presos em Altsasu (Nafarroa) voltaram a sublinhar que não se trata de «um caso de terrorismo» e exigiram que o processo regresse a Nafarroa, tal como o fez recentemente a própria Audiência Provincial navarra.
Liberdade para os jovens de AltsasuNum acórdão emitido na sexta-feira passada, a Audiência Provincial de Nafarroa conclui que não tem qualquer cabimento, «sequer indiciário», a consideração do crime de terrorismo para os factos ocorridos a 15 de Outubro do ano passado em Altsasu, relativos a uma zaragata entre jovens da localidade e dois guardas civis.

Os pais dos jovens defendem que deve prevalecer o «bom senso», a «sensatez» e a «proporcionalidade» no caso. De momento, três dos jovens incriminados continuam na prisão de Soto del Real, num regime duro.

Pediram da que os jovens «saiam da prisão quanto antes e alguns órgãos de comunicação parem de os vilipendiar, mostrando as suas imagens, dados pessoais e aspectos da sua vida privada, de uma forma obscena e insultante», disseram, antes de agradecer todo o apoio recebido até ao momento. / Ver: ahotsa.info [Indar okupatzaileak Euskal Herritik ospa!]

«El próximo congreso de LAB: desarme ideológico de la clase obrera»

ASEH-Lisboa - AZ, 03/29/2017 - 22:33
[De Sugarra] Entre los días 25 y 26 del próximo mes de mayo, se va a celebrar en Gasteiz el 9 Congreso Nacional del sindicato LAB.
En él se presentan dos ponencias a debate y para su aprobación. Una es la político sindical y la otra, la de organización.

Por su importancia, de cara a la orientación general de la actividad del sindicato, nos vamos a centrar en la primera de ellas. / LER: lahaine.org / Teses do LAB aqui (eus./cas.)

«Análisis del primer round en la OEA: siete claves esenciales»

ASEH-Lisboa - AZ, 03/29/2017 - 22:32
[De Misión Verdad] Pocas veces un país en América Latina ha sido tan atacado como Venezuela en estos últimos años. Compararla con Cuba no sería desacertado, ni tampoco escondería el hecho de que la última reunión de la OEA escenificaba lo que esta isla sufrió décadas atrás. Ahora estas reuniones pueden verse en vivo y una menor cantidad de detalles escapan de las cámaras. Misión Verdad analiza siete claves provisorias sobre lo que intentó ser un antes y un después, que no fue. (misionverdad.com)

«Álvaro Lins» (odiario.info)
[De Miguel Urbano Rodrigues] Álvaro Lins é uma das mais notáveis figuras da intelectualidade brasileira, uma grande figura de democrata, de antifascista, de combatente pela paz, de revolucionário. Embaixador em Portugal na segunda metade da década de 1950 – num período em que, com a cumplicidade das «democracias» ocidentais, o salazarismo sobrevivia à derrota do nazi-fascismo na II Guerra - foi pelo Portugal resistente e contra o salazarismo que orientou a sua actividade, numa acção solidária que prosseguiu depois de abandonar o cargo, em ruptura com Juscelino Kubitschek.

Programa «La Memoria»: memória do México armado

ASEH-Lisboa - AZ, 03/29/2017 - 22:31
A imagem dos milhares de insurrectos sublevados juntamente com Villa e Zapata no período 1910-1919 ainda hoje alimenta o imaginário popular fora das fronteiras mexicanas. Aquela onda insurrrecional, guerrilheira, trazia consigo e deixava atrás de si o grito das suas reivindicações: «Terra e Liberdade». Hoje, aquele grito ainda ressoa em vários pontos dos territórios mexicanos.

México armado: 1943-1981 é uma obra da aguda investigadora social Laura Castellanos, que nele aborda essa fase de lutas sociais, económicas e políticas, quatro décadas durante as quais «mais de trinta siglas e nomes de grupos subversivos alçados em armas» mantiveram as esperanças dos seus predecessores, Villa e Zapata, traídos e mortos, e geraram outras novas; é o testemunho de uma luta revolucionária pela justiça social e democrática dos que deram a sua vida e liberdade pelo povo, uma luta que prossegue hoje com uma crueza de que são evidência factos e nomes de lugares como Ayotzinapa ou Oaxaca, ou quando aparece outro México abertamente armado com toda a sorte de facções e o renascimento da guerrilha, desde o Exército Zapatista de Libertação Nacional (EZLN) até ao Exército Popular Revolucionário (EPR).

De tudo se fala no programa e, como sempre, há muita música... a propósito. / Ouvir: Info7 irratia

Zorrotza acolhe jornada em defesa da liberdade de expressão

ASEH-Lisboa - AT, 03/28/2017 - 22:34
Por iniciativa da Plataforma pela Absolvição dos Arguidos na Operação Aranha, no dia 8 de Abril o bairro bilbaíno de Zorrotza será palco de uma jornada em defesa da liberdade de expressão.

Numa conferência de imprensa que deram, no passado dia 16, frente ao quartel da Guarda Civil de La Salve, na capital biscainha, elementos da plataforma denunciaram os últimos julgamentos levados a cabo na Audiência Nacional espanhola e, em simultâneo, anunciaram a jornada que estão a preparar.

A jornada, que irá decorrer do Gaztetxe de Zorrotza, terá início às 14h30 com um almoço popular (5 euros), a que se segue, às 17h00, uma conferência sobre «As operações aranha e o ataque total à liberdade de expressão». Para as 19h00 está agendada uma concentração na rotunda de Zorrotza e, uma hora depois, têm início as actuações das bandas Take Warking, Def con Dos e La Insurgencia.

Mais info: «Arguidos na Operação Aranha denunciam os últimos julgamentos na AN espanhola» (aseh) / Ver também: lahaine.org

Euskaraz mintza! Fala basco!

ASEH-Lisboa - AT, 03/28/2017 - 22:33
Espainiar eta frantziar asimilizazioari hortzak erakutsi!
Gure hizkuntza defendatu eta erabili!

Mostra os dentes à assimilação espanhola e francesa!
Defende e usa a nossa língua!
Não negues, não te envergonhes, fala basco!

«As várias partituras de uma Revolução»

ASEH-Lisboa - AT, 03/28/2017 - 22:32
[De Fausto Neves] Apesar de todas as lutas terríveis pela sobrevivência da jovem Revolução de Outubro, Lénine deu sempre grande importância à frente cultural, à necessidade de não destruir, mas recuperar, o seu imenso património, capturado de há muito pela classe burguesa.

Numa Revolução que tentava sobreviver entre guerras vizinhas e traições internas, rebocando todo um povo da miséria de um feudalismo serôdio para o novo socialismo, a Música, como todas as outras artes, adere à Revolução e tenta ocupar o seu lugar no frenesim de cada dia. Muitos são os compositores que abraçam a Revolução e nela enriquecem as emoções e as formas. (avante.pt)

«A cobertura da imprensa burguesa durante a Revolução Russa (II de III)» (Diário Liberdade)
[De Eduardo Vasco] Se na imprensa dos Estados Unidos, representada pelo New York Times no artigo anterior, a maior parte das notícias vindas da Rússia era produzida por agências de notícias, o mesmo vale para o noticiário sobre a Revolução nas páginas dos jornais brasileiros.

De acordo com uma pesquisa de Ana Paula Moreira et. al., as informações veiculadas a esse respeito na imprensa brasileira vinham exclusivamente de agências estrangeiras. E a maioria das notícias destacava apenas o «lado ruim» dos bolcheviques.

Mesmo antes de estes tomarem o poder em outubro (no calendário russo de então; novembro, no ocidental), já eram retratados de forma negativa e com muitos adjetivos.

«Trabalho Assalariado e Capital» [Escuela de Cuadros]

ASEH-Lisboa - AT, 03/28/2017 - 22:31
A edição n.º 169 do programa de formação marxista «Escuela de Cuadros» centra-se no estudo de «Trabalho assalariado e capital» (1849), de Karl Marx. O debate é dirigido por Ricardo Adrián.
Pode-se aceder-se ao texto em marxists.org: pt. / cas.

«Trabajo asalariado y capital» [Escuela de Cuadros]O programa Escuela de Cuadros é transmitido todas as semanas na Alba TV (segundas e terças-feiras, às 20h30) e na ViVe Televisión (sábados e domingos, 22h00). Os programas podem ser vistos também em www.youtube.com/escuelacuadros.

«Piedras»

ASEH-Lisboa - AL, 03/27/2017 - 22:34
[De Borroka Garaia] Cuando se produjeron los recientes enfrentamientos en las calles de Iruñea y las detenciones sentí esa mezcla de adrenalina y miedo, aunque no es nuevo, lo llevo sintiendo desde los 15 años. Es probable que algunos que sintieran lo mismo vehiculizaran una hostilidad intensa e irracional debido a ese mismo miedo en sentido equivocado. Lo nuevo es que también sentí miedo por algunos de los que he considerado hermanos y hermanas de sangre, y los sigo considerando, puedan acabar con el tiempo y debido a interpretaciones geométricas y cálculos siendo los próximos que lleven a cabo cosas que jamás hubieramos pensado. El estado juega con esa baza también, habría cerrado así uno de sus círculos. (BorrokaGaraiaDa)

«Iruñeko istiluen auzian "terrorismo delitua" dagoela dio Auzitegi Nazionalak» (Euskalerria Irratia)
Nafarroako Auzitegiko 4. instrukzio auzitegiak esan zuen «terrorismo delitua» egon zitekeela auzian. Carmen Lamela epaileak hartu du auzia bere gain.

«Na Morte de David Rockefeller»

ASEH-Lisboa - AL, 03/27/2017 - 22:33
[De Maurício Castro] Chama a atençom que seja precisamente a esquerda a que cada vez mais reproduza a tralha ideológica burguesa e analise o que acontece na sociedade precisamente em termos de indivíduos e relaçons interpessoais «um a um»: políticos honrados ou corruptos, milionários filantropos ou gananciosos, empresários produtivos e banqueiros parasitas... e o que é mais grave, assumindo como inevitável a extrema fragmentaçom da própria classe trabalhadora numha infinita variedade de interesses particulares que impedem que exerça também em bloco o papel que lhe corresponde, como única criadora de toda a riqueza social: transformar o mundo, fazendo-o avançar.

Seria conveniente, em definitivo, deixarmos de engolir o discurso dominante, que todo o traslada ao ámbito do individualismo, da moral e das relaçons interpessoais, onde a compreensom do que acontece à nossa volta é impossível.

Essa compreensom, imprescindível para aspirar a umha transformaçom revolucionária do mundo, só virá de análises críticas, categoriais e de classe. No fim das contas, nós nom queremos a morte biológica deste ou daquele burguês: queremos o fim histórico da burguesia. (Diário Liberdade) [em castelhano: BorrokaGaraiaDa]

Gernika: 1937-2017

ASEH-Lisboa - AL, 03/27/2017 - 22:32
[Guernica #1937_2017] A 26 de Abril de 1937, aviões da Legião Condor essencialmente constituída por forças alemãs, lançam uma chuva de bombas sobre a pequena cidade basca de Gernika [Guernica]. A cidade fica arrasada, mais de mil pessoas perdem a vida e centenas ficam feridas.

Gernika [Guernica] foi o primeiro bombardeamento aéreo sobre civis da história e não tinha qualquer objectivo militar. Foi um teste, um simples e bárbaro teste à máquina militar nazi e à reacção da população perante tamanha e indiscriminada violência.

Quando a cidade de Gernika [Guernica] foi arrasada pela aviação alemã, estava-se em plena guerra civil espanhola e os franquistas avançavam sobre a jovem República, suportados pela Alemanha nazi e pela Itália fascista, perante a passividade das «democracias liberais» francesa e britânica. Ao lado dos republicanos, apenas combatiam soviéticos e milhares de voluntários internacionais, incluindo portugueses.

Na altura do ataque, Picasso encontrava-se a trabalhar numa encomenda para o pavilhão da República espanhola na Exposição Internacional de Paris. Ao tomar conhecimento do massacre Picasso lança-se ao trabalho.

Obra iniciada a 1 de Maio, Picasso termina a pintura a 4 de Junho de 1937.

O quadro com a dimensão de 349,3x776,6 cm foi executado a óleo sobre tela. Encontra-se exposto no Centro de Arte Moderna Reina Sofía, em Madrid.

Pablo Picasso realizou trabalhos no campo da pintura, escultura e poesia. Foi um artista genial, um incansável defensor da liberdade e da paz. Este texto é apenas uma pequena homenagem ao militante comunista, ao artista revolucionário. (manifesto74) [klik egin irudia handitzeko]

«Bloqueio económico de Porto Rico»

ASEH-Lisboa - AL, 03/27/2017 - 22:31
[De Jesús Dávila] Porto Rico é gerido colonialmente pelos EUA desde finais do séc. XIX. A ilha caribenha tinha condições para desenvolver uma economia próspera, mas a situação de dependência colonial colocou-a à beira do colapso. Só desde a eclosão da actual crise geral do capitalismo o grande capital dos EUA levou de Porto Rico cerca de 330.000 milhões de dólares. (odiario.info)

K17: «Só o socialismo tornará o povo trabalhador dono do seu futuro, como há 100 anos»

ASEH-Lisboa - IG, 03/26/2017 - 22:34
Teve ontem lugar, pelo meio-dia, na Herriko Plaza de Barakaldo (Bizkaia), a sessão pública de apresentação da K17, uma iniciativa surgida em Euskal Herria, «plural e aberta», com o propósito de «comemorar e reivindicar a Revolução Socialista de 1917, por ocasião do seu centenário». O acto, conduzido pelo historiador Jon Kortazar e pela sindicalista e escritora Sonia González, teve o apoio de algumas dezenas de pessoas.

Na sua intervenção, Sonia González referiu-se à «importância indiscutível da Revolução Socialista de 1917, e sublinhou a relação entre os factos ocorridos há 100 anos e «outros acontecimentos históricos e sociopolíticos, como o avanço dos processos revolucionários na América Latina ou o desenvolvimento do Estado de Bem-estar a que o capital europeu teve de lançar mão para conter o perigo revolucionário ao longo do século XX».

A sindicalista e escritora também se referiu a vivências de carácter pessoal, como o massacre de familiares seus, há 80 anos, por serem comunistas, ou o facto de a iniciativa ser apresentada em Barakaldo, a terra operária que acolheu a sua família foragida de Málaga (Andaluzia).

González reivindicou a validade da revolução centenária, salientando que, «se queremos um futuro em que as pessoas, as suas necessidades, desejos, potencialidades estejam em primeiro lugar, um futuro em que corramos de vez com a tirania dos mercados, o lucro desenfreado, a desigualdade, a exploração… esse futuro passa necessariamente pelo socialismo».

Por seu lado, Jon Kortazar, porta-voz da K17, expôs os motivos, as características e os objectivos da iniciativa, que caracterizou como «plural». Ao longo deste ano, disse, a K17 vai promover actos e debates, procurando divulgar «o conhecimento sobre 1917 no seio da sociedade basca, bem como reivindicar o seu legado».

Kortazar disse que o desconhecimento ou a desvalorização da Revolução Russa se deve ao «abandono da classe trabalhadora como sujeito político», assim como à «criminalização do comunismo». O historiador destacou a importância da Revolução de 1917, por ser a primeira revolução que abriu caminho a um Estado operário duradouro e por «ter influenciado toda a política do século XXI, sendo uma referência para as lutas de emancipação». / Ler texto na íntegra [eus./cas.]: k17.eus

Milhares em Donostia contra a incineradora, porque há alternativas

ASEH-Lisboa - IG, 03/26/2017 - 22:33
Ontem à tarde, milhares de pessoas percorreram o centro da capital guipuscoana, entre Anoeta e o Boulevard, para deixar clara a sua oposição ao projecto da incineradora de Zubieta.
Para os organizadores, Gipuzkoa não precisa da incineração de resíduos, porque é «desnecessária, cara, prejudicial para o ambiente e a saúde» e porque existem alternativas. Por isso, voltaram a exigir à Deputação de Gipuzkoa que pare com o projecto. / Ver: Berria / Foto: Lander Arbelaitz

Sobre alternativas: «Alternativas sin incineración: está en nuestras manos» (erraustuez.org)

«Muro que divide ricos y pobres en Perú no sufrió daños por inundaciones»

ASEH-Lisboa - IG, 03/26/2017 - 22:32
Perú es uno de los países con mayores niveles de desigualdad de la región, según reportes oficiales del Banco Mundial. La entrega de sus sectores estratégicos al capital transnacional privado ha generado una profunda brecha de desigualdad, marcada por la precariedad, la exclusión y el hambre en amplios sectores de la población peruana, sobre todo en las zonas más alejadas de los centros capitalinos, donde las inundaciones dejaron sus saldos más terribles.

Lo que emergió de las inundaciones fue precisamente el resultado de décadas de neoliberalismo, presentado como un supuesto modelo exitoso que toda la región debe replicar. Pero esta brecha de desigualdad tiene una expresión física más allá de los datos estadísticos. Actualmente en Lima, específicamente en el distrito de Surco, un muro de 10 kilómetros de longitud divide a la clase alta de los pobres. Y no es cualquier muro: divide una de las urbanizaciones más ricas de Lima (Las Casuarinas) y uno de las más pobres (Pamplona Alta). (Misión Verdad)

«Más de 600 mil manifestantes repudiaron a la dictadura y al macrismo» [Argentina]

ASEH-Lisboa - IG, 03/26/2017 - 22:31
¿Seiscienta mil o más? No hay ojos que alcancen para contar cuántas mujeres, hombres, jóvenes, adolescentes y niños y niñas marcharon este viernes por las calles de Buenos Aires y todo el país para repudiar a los militares de la dictadura de 1976 y de paso señalar como uno de sus herederos al gobierno actual de Mauricio Macri. / LER: Resumen Latinamericano

Greve no Ensino público da CAB teve adesão superior a 75%

ASEH-Lisboa - L, 03/25/2017 - 22:34
Os sindicatos ELA, LAB e Steilas mostraram-se «bastantes satisfeitos» com a adesão dos trabalhadores à greve convocada para esta quarta-feira, 22, no sector do Ensino público não universitário da Comunidade Autónoma Basca. De acordo com os dados que divulgaram, três em cada quatro trabalhadores do sector fizeram greve; nalgumas comarcas, a adesão foi quase total. O Governo de Gasteiz disse que a adesão não superou os 50%.

Tinham sido convocados a participar na greve cerca de 28 mil trabalhadores do Ensino público não universitário (docentes, trabalhadores da Educação especial, dos refeitórios e das limpezas), bem como os mais de 1200 funcionários das creches do Consórcio Haurreskolak.

Milhares vieram para as ruas «reivindicar o fim das políticas cortes, a melhoria das condições de trabalho e uma educação pública que tenha como meta o desenvolvimento integral das pessoas e da sociedade», lê-se numa nota dos sindicatos. As manifestações foram mais expressivas em Gasteiz, Bilbo e Donostia.

ELA, LAB e Steilas, que convocaram a jornada de luta, afirmaram que a adesão foi superior a 75% e que, na maioria das comarcas, a adesão foi praticamente total. A greve teve menor incidência na comarca do Bidasoa (cerca de 60%), em Bilbo e Ezkerraldea (cerca de 50%). No que respeita ao Consórcio Haurreskolak, a adesão foi superior a 85%, referiram as organizações sindicais.

Num comunicado emitido a propósito desta jornada de luta, os sindicatos apontam como reivindicações, entre outras: investimento na Educação; maior número de trabalhadores e aumento dos recursos; fim dos cortes nos salários e nas baixas; redução do nível de precariedade; diminuição do número de alunos por sala; fim das reformas LOMCE e Heziberri; fim da mercantilização do Ensino; criação de um modelo de imersão no euskara, de forma a ter alunos euskalduns e plurilingues. / Ver: argia e LAB

O preso Igor González foi levado até Zeanuri para visitar a mãe, doente

ASEH-Lisboa - L, 03/25/2017 - 22:33
O preso político basco Igor González foi hoje transferido da cadeia de Badajoz até Zeanuri (Bizkaia) para poder visitar a sua mãe, que está doente, e sentiu o apoio dos seus conterrâneos.

Em Zeanuri (localizada na comarca biscainha de Arratia, na belíssima região montanhosa do Gorbeia), cerca de 40 habitantes, incluindo membros do Movimento pró-Amnistia e contra a Repressão de Arratia, receberam o preso político ao som da trikitixa, com inscrições solidárias nas paredes e com bandeirolas solidárias com os presos.

A Ertzaintza montou um dispositivo de segurança, deslocando para Zeanuri vários furgões e carros-patrulha, mas isso não impediu os habitantes de manifestarem o seu apoio a Igor González enquanto esteve com a mãe - uma hora e meia, algemado. / Muitas fotos em @boltxevikek: 1, 2, 3, 4 e 5

Dossiê: 60 anos do Tratado de Roma - «Um passado sem futuro»

ASEH-Lisboa - L, 03/25/2017 - 22:32
Assinalam-se, este sábado, 60 anos da assinatura do Tratado de Roma, documento fundador da Comunidade Económica Europeia. Na semana que começa, esperam-nos entorses e mistificações da História das últimas seis décadas no continente europeu, em resposta a mais uma crise do projecto de integração capitalista que assumiu, desde 1992, o nome de União Europeia. [...]
Mas uma outra mentira histórica surgirá, como acontece sempre, associada ao processo de criação de uns «Estados Unidos da Europa», nas palavras de Churchill: a ideia dos 60 anos de paz no continente. Nada mais falso. Da ocupação parcial de Chipre em 1974 ao conflito que perdura na Ucrânia, passando pelas guerras nos Balcãs, com o dedo da NATO, as últimas seis décadas estão longe de representar um período de paz para os povos europeus.

Não serão de estranhar, nos próximos dias, proclamações grandiosas sobre o passado e o futuro desta experiência. Sobre o seu carácter único, por exemplo, ainda que, oito anos antes do Tratado de Roma, sete estados europeus tivessem criado o Conselho para a Assistência Económica Mútua. Para a construção da teia que hoje forma a União Europeia, as proclamações contaram mais que a realidade e a solidariedade e cooperação entre estados e povos. (Abril)
Cronologia: «Etapas do percurso de integração capitalista» (Abril)

Euro: «Quinze anos do euro – promessas por cumprir» (Abril)

Produção: «Um país que não produz não tem futuro» (Abril)

Barricada - «Bahia de Pasaia»

ASEH-Lisboa - L, 03/25/2017 - 22:31
Tema do álbum Latidos y Mordiscos (2006). O grupo é de Iruñea.

EMBOSCADA DE PASAIA: A 22 de Março de 1984, a Polícia espanhola matou, numa emboscada na Baía de Pasaia (Gipuzkoa), quatro militantes dos Comandos Autónomos Anticapitalistas. Trata-se de Rafael Delas, Txapas (Iruñea, 1957), José Maria Izura, Pelu (Iruñea, 1958), Pedro Mari Isart, Pelitxo (Azpeitia, 1961) e Dioni Aizpuru, Kurro (Azpeitia, 1963). Os seus corpos apareceram crivados de balas: 113, mais precisamente.

Ver tb: «Pasaiako segadan hildakoak gogoan izan dituzte 33. urteurrenean» (uztarria.eus)

«Rejeitado o recurso contra o arquivamento do caso da emboscada de Pasaia» (aseh; Julho de 2016)

«Dezenas pediram em Azpeitia que não se arquive o caso da "emboscada de Pasaia"» (aseh; Março de 2016)

Orriak

Subscribe to Askapena agregatzailea - EH Lagunak (pt)
randomness